domingo, 2 de outubro de 2016

Café

AFINAL FAZ BEM OU FAZ MAL?




O café possui inúmeros compostos, e ainda no processo de torrefação, ocorrem diversas reações químicas onde esses compostos se degradam ou formam outros. Apesar da cafeína ser sempre o composto mais citado, o café possui outros nutrientes como o potássio, zinco, ferro, magnésio e diversos outros minerais, embora em pequenas quantidades. Também possui aminoácidos, proteínas, lipídeos, açúcares, polissacarídeos e antioxidantes, os quais combatem os radicais livres.




Mas será que ele tem mais benefícios que malefícios? 



Os efeitos do café dependem da qualidade e quantidade desses compostos químicos, referindo que o consumo moderado é a ingestão de 3 a 5 doses diárias de café
Segundo estudos, consumir café moderadamente não acarreta riscos para a saúde. Porém doses elevadas podem trazer prejuízos ao organismo como taquicardia, palpitações, insônias, ansiedade, tremores, dores de cabeça e náuseas, principalmente em pessoas que são sensíveis a cafeína.
Recomenda-se para a pessoa que quer diminuir a quantidade de café diária, que faça isso de forma gradual, pois a interrupção abrupta pode trazer efeitos parecidos com os descritos anteriormente.
Estudo relatam que o café pode prevenir certas doenças como a de Parkinson, o Mal de Alzheimer, depressão, cálculos renais, diabetes tipo 2, doenças coronarianas e redução do colesterol,auxiliam no processo de emagrecimento,e também na prevenção de alguns tipos de câncer como o de cólon e reto.
Mas como tudo tem seu lado ruim, o consumo exagerado de café pode trazer malefícios ao organismo como a azia diminuição da absorção do ferro não-heme e também pode elevar a pressão arterial, sendo um risco para pessoas com hipertensão arterial.   

O SEGREDO É NÃO EXAGERAR!


O café é uma bebida estimulante e não se pode exagerar na quantidade. Cada pessoa deve buscar qual dose diária de café que a satisfaz. Lembre-se que o café é uma bebida diurna, que ajuda nas atividades do dia, mas seu consumo deve ser reduzido no período da noite, para não afastar o sono. A primeira xícara deve ser tomada na primeira hora após o despertar e as demais, com intervalos mínimos de duas horas.